Notícias e Pesquisas

03 Abr 2020

Pessoas com Deficiência e o Mercado de Trabalho

O IBOPE Inteligência realizou, em parceria com o Ministério Público do Trabalho, uma pesquisa sobre a empregabilidade das pessoas com deficiência, a fim de identificar a relação das pessoas com deficiência do município de São Paulo e entorno, com o mercado de trabalho, suas dificuldades e anseios.

Com a possibilidade de escolha de mais de uma opção de resposta, quando perguntados sobre quais são os tipos de deficiência que possuem, 46% dos entrevistados afirmam ter deficiência física, 23% deficiência intelectual, 12% deficiência auditiva, 12% deficiência mental/psicossocial, 11% deficiência visual e 5% deficiência da fala.

Os entrevistadores consideraram sempre as respostas dadas pelos entrevistados, ainda que tenham observado alguma outra deficiência além da declarada. Todos os destaques por tipo de deficiência, ao longo da pesquisa, foram feitos considerando a primeira menção do entrevistado, ou seja, a primeira deficiência declarada.

Deficiência física

Dentre os que declaram que possuem deficiência física, são elas:

- 14% amputação ou ausência de membro;

- 13% membros com deformidades (congênita ou adquirida);

- 12% paraparesia (perda parcial das funções motoras dos membros inferiores);

- 12% monoparesia (perda parcial da função motora de um só membro inferior ou superior);

- 8% paraplegia (paralisia total das pernas, da parte inferior do tronco e dos órgãos pélvicos);

- 7% hemiparesia (paralisia parcial de uma das metades do corpo)

- 7% paralisia cerebral;

- 5% tetraparesia (paralisia incompleta de nervo ou músculo dos membros inferiores e superiores)
- 5% poliomielite - paralisia infantil;

- 3% triparesia (perda parcial da função motora de três membros),

- 3% monoplegia (perda total das funções de um só membro ou grupo muscular)

- 3% tetraplegia (perda total da função motora dos quatro membros)

-3% hemiplegia (paralisia total de uma das metades do corpo);

- 2% nanismo;

Além das deficiências apresentadas, 4% responderam que possuem outros tipos de deficiência, como Esclerose múltipla, Síndrome de Ehlers-Danlos, Parkinson ou Distrofia muscular, enquanto 9% não sabem ou não responderam.

Deficiência auditiva

Em relação aos que informaram possuir deficiência auditiva, 47% possuem de forma moderada (41 a 70 dB), 24% de forma muito grave, incluindo a surdez (91 dB ou mais), 15% leve (26 a 40 dB) e 12% grave (71 a 90 dB). Outros 2% não sabem ou não responderam.

Deficiência visual

Sobre a deficiência visual, 40% afirmam possuir baixa visão - acuidade visual entre 0,3 e 0,05 no melhor olho com a melhor correção óptica, 28% visão monocular, 26% cegueira - acuidade visual é igual ou menor que 0,05 no melhor olho, com a melhor correção óptica e 2% ocorrência simultânea de quaisquer das condições anteriores. Outros 5% não sabem ou não responderam.

Deficiência mental/psicossocial

- 14% mencionam Depressão;
- 12% Esquizofrenia;
- 7% Síndrome do pânico
- 7% Transtorno bipolar
- 5% Paranoia;
- 3% Transtorno obsessivo compulsivo.

Outros 29% afirmam possuir outra deficiência mental/psicossocial e 24% não sabem sabiam ou não responderam.

Áreas de limitação

Quase oito em cada dez entrevistados (77%) possuem dificuldade para aprender e/ou estudar, enquanto 60% têm dificuldades com raciocínio lógico. Há também 46% com limitação na comunicação, 41% com dificuldade de se relacionar com outras pessoas e 29% afirmam possuir alguma limitação no trabalho, mesmo percentual daqueles que apresentam alguma restrição relacionada à saúde e segurança. Cerca de um quarto (23%) mencionam dificuldades com o cuidado pessoal, 23% no lazer e 17% na utilização de recursos da comunidade.

Percepções sobre o mercado de trabalho

O trabalho desperta, majoritariamente, sentimentos positivos nos entrevistados, quando estes são levados a pensar espontaneamente sobre o assunto.

As principais palavras que representam o que sentem quando pensam na importância do trabalho são: alegria (5%), independência, dignidade e essencial (todas menções com 4%), melhor condição financeira, responsabilidade e importante (3%). Outros 14% não sabem ou não responderam.

Quando se fala em oportunidade de emprego, os entrevistados avaliam que plano de carreira é o aspecto mais importante e, para a grande maioria dos respondentes (em todos os itens avaliados), a Lei de Cotas ajuda as pessoas com deficiência em diversos aspectos relacionados ao mercado de trabalho.

Ainda em relação ao mercado de trabalho, a maioria concorda com aspectos sobre o preparo de gestores, colegas de trabalho e empresas, assim como a adequação das vagas disponíveis para o perfil das pessoas com deficiência e salários oferecidos, mas discorda sobre o volume das ofertas de emprego.

Ambiente de trabalho

Pouco mais da metade dos entrevistados (52%) não está trabalhando atualmente. Dentre aqueles que estão, a maioria ocupa um cargo operacional (62%), enquanto 14% ocupam cargo gerencial e 11% cargo técnico.

E entre os que não estão trabalhando atualmente uma parcela significativa (83%) afirma já ter exercido uma atividade laboral no passado.

Dos que trabalham atualmente, 63% são homens e 37%, mulheres; 48% têm de 16 a 24 anos e 67% possuem o ensino médio completo. Mais da metade dos entrevistados empregados (54%) trabalham no comércio.

Cerca de quatro em cada 10 atuam há pouco tempo – até seis meses – na empresa onde trabalham ou por conta própria. Os que estão há mais de um ano no trabalho atual vivenciaram mais as situações de reconhecimento profissional do que os que atuam em um tempo menor.

Quase dois terços afirmam que no seu local de trabalho não foram feitas adaptações específicas para melhorar as condições de trabalho; dentre aqueles que declaram o oposto, a maioria (87%) acredita que as adaptações feitas foram suficientes.

Discriminação no trabalho e outras situações

Dois em cada cinco respondentes já presenciaram ou vivenciaram algum tipo de discriminação no ambiente de trabalho (40%); proporção similar é observada em outras situações, como bullying (38%) e rejeição (38%). Sete em cada dez (69%) já presenciaram ou vivenciaram pelo menos uma das situações avaliadas.

Deslocamento na cidade e relacionamento familiar

Falta de acessibilidade em geral (18%), preconceito (16%) e dificuldade na comunicação (15%) são as situações que mais afetam o dia a dia das pessoas com deficiência.

Os entrevistados levam, em média, 2h38 em seus deslocamentos pela cidade para a realização da atividade principal do dia, considerando a ida e a volta. A percepção das pessoas que não trabalham é que elas levam mais tempo e encontram mais dificuldade para se locomover pela cidade por transporte público do que as pessoas que trabalham.

Praticamente a totalidade dos entrevistados costuma utilizar transporte público; a maioria afirma que também se desloca a pé e utiliza carro (seja próprio ou táxis/veículos por aplicativos).

De modo geral, os familiares apoiam as decisões dos entrevistados e os incentivam na procura por um emprego. No entanto, dois terços afirmam que suas famílias são super protetoras.

Foram entrevistadas 510 pessoas com deficiência que residem na cidade de São Paulo e em cidades da região metropolitana. Os entrevistados foram selecionados aleatoriamente, por meio de abordagem pessoal, na saída de eventos ou em instituições que realizam atendimentos para pessoas com deficiência. Ainda foram realizadas poucas entrevistas por telefone, através de indicações das pessoas entrevistadas nos eventos/instituições. Desta forma, os resultados não podem ser extrapolados para um universo total de pessoas com deficiência, sejam eles os residentes da capital, do estado de São Paulo ou do Brasil.

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Pessoas com Deficiência e o Mercado de Trabalho

Margem de erro

POR SE TRATAR DE UMA AMOSTRA PROCURADA, NÃO É POSSÍVEL O CÁLCULO DE UMA MARGEM DE ERRO EXATA. UTILIZAMOS UMA MARGEM DE ERRO APROXIMADA (4 p.p. PARA MAIS OU PARA MENOS) COMO UM PARÂMETRO PARA INDICAR POSSÍVEIS DIFERENÇAS ENTRE OS SEGMENTOS.

Tema

Saúde

Transporte

Contratante

Ministério Público do Trabalho

Período

18/07/2019 a 05/09/2019

Local

Brasil - SP

Amostra

Foram realizadas 510 entrevistas.

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Pessoas com Deficiência e o Mercado de Trabalho
Pesquisa completa