Notícias e Pesquisas

08 Mai 2007

Jovens brasileiros são liberais em relação a camisinha, sexo e aborto

Noventa e cinco porcento dos jovens brasileiros que têm entre 18 e 29 anos concordam com o uso da camisinha para evitar gravidez e doenças sexualmente transmissíveis. Esse número é muito próximo ao que pensam os jovens católicos (96% apóiam o uso da camisinha como método contraceptivo) e evangélicos (92%). Os dados são de uma pesquisa realizada pelo IBOPE Opinião para a organização Católicas pelo Direito de Decidir entre novembro de 2006 e janeiro de 2007.


A pesquisa ouviu 1.989 brasileiros entre 18 e 29 anos sobre temas relacionados ao comportamento sexual e reprodutivo e à posição da igreja católica. O estudo identificou, entre outras informações, que 86% dos entrevistados acreditam ser possível usar anticoncepcionais e continuar sendo um bom católico. Entre os jovens católicos esse número chega a 88% e, entre os evangélicos, a 78%.


O jovem católico também mostra-se contrário à afirmação de que as pessoas só devem ter relações sexuais após o casamento (79%) e à prisão de mulheres que precisaram recorrer ao aborto (62%). Entre os brasileiros de forma geral, a discordância com essas frases é de 72% e de 60%, respectivamente.

A maioria dos entrevistados – 61% dos jovens brasileiros, 62% dos católicos e 53% dos evangélicos – acredita que ao condenar o uso da camisinha, ou outros métodos anticoncepcionais, e sexo antes do casamento, a igreja católica assume uma posição atrasada.

Sobre a pesquisa

Período: A pesquisa foi realizada entre novembro de 2006 e janeiro de 2007.
Amostra: Foram entrevistados 1.989 brasileiros entre 18 e 29 anos em 315 municípios do País.
Margem de erro: É de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, considerando um grau de confiança de 95%.

Fonte: IBOPE Opinião

   Download da pesquisa

 Para visualizar as pesquisas, você precisa do Adobe Acrobat Reader. Faça o download gratuito do programa 

COMENTÁRIOS