Notícias e Pesquisas

26 Set 2018

Jair Bolsonaro mantém liderança e diferença de 6 pontos percentuais com relação a Fernando Haddad

No mais novo levantamento realizado pelo IBOPE Inteligência a pedido da Confederação Nacional da Indústria (CNI), entre os dias 22 e 24 deste mês, a fim de verificar as intenções de voto para a Presidência da República, o cenário eleitoral segue estável. Jair Bolsonaro (PSL) continua na liderança, tendo oscilado de 28% para 27% das menções, seguido pelo petista Fernando Haddad, que varia 22% para 21%, o que mantém entre os pleiteantes a diferença de 6p.p. em comparação ao estudo anterior. Em outro patamar, Ciro Gomes, do PDT, recebe 12% das respostas (tinha 11%); Geraldo Alckmin (PSDB) mantém os mesmos 8%, enquanto Marina Silva (REDE) passa de 5% para 6% das intenções de voto. Os demais candidatos (João Amoêdo, do NOVO, Henrique Meirelles, do MDB, Alvaro Dias, do PODEMOS, Guilherme Boulos, do PSOL, Vera, do PSTU, João Goulart Filho, PPL, Eymael, da DC e Cabo Daciolo, do PATRIOTAS) oscilam dentro da margem de erro e têm até 3% das menções, cada. Aqueles que têm intenção de votar em branco ou de anular o voto representam 11% da amostra pesquisada e os indecisos são 7% (eram 12% e 7%, respectivamente).

Nesta pergunta, um disco com o nome dos candidatos é apresentado ao entrevistado.

Destaques por segmentos
Nesta rodada, Jair Bolsonaro mantém intenções de voto mais acentuadas entre aqueles com renda familiar mensal acima de 5 salários mínimos (S.M.) atingindo 40%; entre os homens e entre os que vivem na região Sul chega a 36% (sendo que neste último segmento tinha 30% na pesquisa passada); entre os que têm renda de mais de 2 a 5 S.M. alcança 35%; entre eleitores de 25 a 34 anos tem 32% e entre os mais escolarizados obtém 31%. Em relação à pesquisa divulgada dia 24 deste mês, mantém-se a tendência de aumento de suas intenções de voto conforme cresce a renda familiar mensal do entrevistado, uma vez que tem 13% entre os que possuem renda familiar até 1 S.M., chega a 40% entre os que têm renda acima de 5 S.M.). Além disso, cresce 6 p.p. entre eleitores com o Ensino Fundamental completo (tinha 20% e foi para 26%) e 4 p.p. entre quem tem 35 a 44 anos (de 24% para 28%), em contrapartida recua 5 p.p. entre os eleitores que moram na região Norte/Centro-Oeste (de 33% para 28%) e 4 p.p. entre os mais velhos (de 25% para 21%).

 - Já as intenções de voto em Fernando Haddad seguem mais significativas entre eleitores com menor renda familiar mensal, entre os quais atinge 28% e entre aqueles que moram em municípios menores, com até 50 mil habitantes (26%). O petista cresce entre os mais jovens (passa de 17% para 21%), porém as menções ao candidato decrescem entre eleitores de 25 a 34 anos (cai de 23% para 19%), entre os menos escolarizados (recua de 28% para 24%), entre os que têm de 5ª a 8ª série (vai de 26% para 22%), entre entrevistados que moram nas regiões Nordeste (indo de 34% para 30%) e Sul (cai de 19% para 15%).

 - O pedetista, Ciro Gomes, continua sendo mais citado entre quem mora no Nordeste (17%) e entre os eleitores mais jovens (15%).

- João Amoêdo passa a se destacar entre os mais instruídos e segue forte entre aqueles com maior renda familiar mensal superior a 5 S.M, extratos em que atinge 8% das intenções de voto.

 - Por fim, Marina Silva oscila positivamente chegando a 10% entre eleitores mais jovens, de 16 a 24 anos.

- Os demais candidatos apresentam intenções de voto distribuídas de maneira homogênea nos segmentos analisados.

 
Votos válidos
Para facilitar a comparação com os resultados oficiais divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral, estamos calculando os votos válidos. Um candidato a presidente é eleito no 1º turno se obtiver 50% mais um dos votos válidos na apuração oficial.

Conceito de voto válido: O percentual de votos válidos de cada candidato corresponde à proporção de votos do candidato sobre o total de votos, excluídos os votos brancos, nulos e indecisos.

 

 

* O objetivo de uma pesquisa eleitoral não é antecipar os resultados da eleição, mas sim o de mostrar o cenário no momento em que foi realizada. A pesquisa é uma fotografia do momento e não tem o poder e nem a intenção de prever o resultado de uma eleição. Por isso, seus resultados não podem ser usados para prever o resultado das urnas

 

DADOS DA PESQUISA

Nome da pesquisa

Intenção de voto para presidente/ Avaliação do governo federal

Margem de erro

a margem de erro estimada é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra.

Tema

Administração pública

CNI

Eleições

Opinião pública

Contratante

pesquisa contratada por CONFEDERACAO NACIONAL DA INDUSTRIA.

Período

22/09/2018 a 24/09/2018

Local

Brasil

Amostra

foram entrevistados 2.000 eleitores. O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral.

Registro TRE/TSE

registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo Nº BR- 04669/2018

ARQUIVO(S) PARA DOWNLOAD
Intenção de voto - Pesquisa completa
Avaliação do governo - Pesquisa completa
Intenção de voto - Apresentação
Avaliação do governo - Apresentação